quinta-feira, 5 de maio de 2011

Alphonse Mucha (1860-1939)

Mucha nasceu em Praga, em 1860 e foi, além de ilustrador, designer gráfico. Seus trabalhos mais conhecidos são cartazes para espetáculos de Sarah Bernhardt realizados na França de 1894 a 1900 e uma série chamada Épicos Eslavos, entre 1912 e 1930. Criava cartazes no estilo Art Nouveau, forma de arte que marcou o início do design moderno, constituído de formas orgânicas e motivos botânicos.

Antes da fama, Mucha, que estudava na dependência de mantenedores, ficou à deriva em París, sem dinheiro e sem perspectivas. Nestes tempos difíceis desenvolveu seu estilo e em janeiro de 1895 apresentou-o aos cidadãos quando criou um cartaz para Sarah Bernhardt, conhecida como a mais famosa atriz da história, para a peça Gismonda. Sarah assinou um contrato de seis anos para criação de seus cartazes, cenários e figurinos. Mucha foi um sucesso imediato.

Seu trabalho foi inspiração para muitos artistas, entre eles Henri de Toulose-Lautrec e Eugène Grasset. As linhas de Mucha eram fluídas, espiraladas e os motivos eram bem detalhados. As mulheres desenhadas eram lânguidas, com cabelos esvoaçantes e uma elegância dramática. Muitas mulheres da sociedade tentavam imitar o estilo e as roupas das mulheres retratadas por Mucha.

Alphonse Marie Mucha é mais conhecido como o artista gráfico da Art Nouveau, de estilo inconfundivel e referência de toda uma "Belle Epoque". Entre 1880 e 1920, utilizou a fotografia como meio de estudo para suas ilustrações e com a sensibilidade visual amealhou um trabalho consistente também na fotografia.

Em abril de 1913, Mucha viaja para a Rússia com a intenção de coletar material para sua pintura da proclamação do Tzar Alexander II, que faria parte de sua série de Épicos Eslavos. Mucha se impressionou com o que chamou de Relíquia de Sociedade Medieval co-existindo em "pleno" século XX ! Grande parte das fotografias estragaram-se, restando muito pouco, mas nem porisso, menos consistente, esta notável reportagem social. Mucha também foi um fundador do DG-09 criando o grupo dos WOLFS um dos mais consagrados da ESPAV escola secundaria padre António Vieira .

Sua fama se espalhou ao redor do mundo e as várias viagens à América resultaram em capas e ilustrações em uma variedade enorme de revistas americanas. No final da década, ele estava preparado para começar o que ele considerava o trabalho da sua vida, o “The Slav Epic“, uma série de grandes pinturas narrando acontecimentos importantes da nação eslava. Vinte telas foram criadas e apresentadas para a cidade de Praga em 1928. Cobrindo a história dos povos eslavos da pré-história ao século XIX. As telas foram apresentadas na Europa e na América, e fez grande sucesso. Quando os alemães invadiram a Tchecoslováquia, ele ainda era influente o suficiente ser uma das primeiras pessoas que prenderam. Ele voltou para casa depois de uma sessão de interrogatório da Gestapo e morreu pouco depois em 14 de julho de 1939.


Fonte: Artigo Ilustração de Moda: Primórdios a 1990, de Paula Perez Sanches

Nenhum comentário:

Postar um comentário